acesso a zona privada

Archive for ◊ Novembro, 2008 ◊

30 Nov 2008 Direitos, Privilégios e outros Sacrilégios – Miguel Fonseca
 |  Category: Política Madeira  | Comments off

Caro Miguel Fonseca,

A minha posição sobre a discussão no interior e exterior do Partido tem sempre os mesmos pressupostos! Deve sempre ser interna a não ser que o partido recuse, bloqueie ou impeça essa discussão nos órgãos próprios.

Não é uma questão de incómodo, é uma questão de funcionamento dos órgãos e de direitos de participação dos militantes.
Se um assunto é legitimamente discutido nos órgãos internos dando aos membros a possibilidade de debater em condições normais, então o assunto não deve ser trazido para a praça pública.

Agora se “alguém” impede que o assunto seja discutido nos locais próprios do Partido, então o militante tem todo o direito de o trazer para a praça pública, naturalmente medindo as consequências, mas não se limitando no direito de intervir.

O Miguel Fonseca refere, por entre a cascata de ideias do seu post, a discussão dos candidatos ao Funchal nas eleições autárquicas aludindo à perturbação que isso poderia causar.

Ora, aproveito a oportunidade para dar mais umas informações de contexto que o Miguel Fonseca não sabe. O Baby Boy Swim também tem andado em pulgas e até, com a “ajuda” de um anónimo, já começou a criar candidatos para a zona oeste

A Comissão Política Concelhia do Funchal reuniu ordinariamente e decidiu marcar para uma data posterior aí combinada a discussão interna sobre a candidatura à Câmara Municipal do Funchal.

Passou a data combinada e reunião nicles… Ora nessa altura o Duarte Gouveia escreve no blog que vai falar sobre o assunto neste espaço público…

Felizmente, a reunião realiza-se na semana seguinte e foi um debate muito interessante, aberto e esclarecedor sobre os diversos pontos de vista. O órgão reuniu, debateu muito mais do que é normal nestas circunstâncias e deu orientações claríssimas… Não foi nada perturbador, foi um excelente debate interno.

Essa reunião já foi há algum tempo e da minha boca não saiu mais nada sobre o que lá se passou. Também não houve qualquer fuga de informação para a comunicação social…

No entanto há situações que me preocupam!

Não fui eu que disse na convenção que os candidatos autárquicos estariam na rua em campanha muito rapidamente… Como também não sou eu que agora digo que só serão divulgados após as Eleições Europeias…

Depois de o processo ter avançado agora parece parou (ou quase).
Só espero que este “arrastar de pés” não tenha água no bico para justificar “candidaturas de emergência”…
O tempo continua a passar e se se ultrapassar o limite que considero normal e razoável irei abordar o assunto neste blog.

Sobre a questão do número de pessoas ligadas ao ensino no órgão executivo, confesso que nunca tinha sequer dado conta dessa curiosidade numérica… mas também não pensei que esse facto provocasse tanto incómodo…

O Miguel Fonseca desafia-me a explicitar os privilégios dos funcionários públicos face aos demais trabalhadores. Vou fazê-lo, não na generalidade mas na especialidade, noutro post e noutro dia porque já são 3 da manhã.

Mas Miguel deixo-te também uma questão: Serão os funcionários públicos melhores trabalhadores do que os que trabalham no sector privado ou no sector cooperativo?
Não deverão ter todos os trabalhadores no geral os mesmos direitos?
Então o problema é apenas se a igualdade é alcançada por soma ou por subtracção?

30 Nov 2008 Direito à Resistência – Fernando Vouga
 |  Category: Política Portugal  | Comments off

Num comentário ao post no blog Com Que Então, o sr. Fernandou Vouga escreveu o seguinte comentário:

Ao Sr. Duarte Gouveia

Diz o senhor no seu blogue que «Os professores não podem deixar de cumprir a lei (que os obriga a ter avaliações) porque lhes apetece!»

Não é totalmente verdade. Porque, em certos casos, os cidadãos têm o direito de resistir à Lei, se ela for injusta, ilegítima ou atentar contra a sua consciência, etc.. É o caso de alguém que consegue fugir da prisão após ser condenado. Se depois conseguir provar a sua inocência, não sofre qualquer pena por causa da fuga.

Mas as coisas, neste caso, chegaram a tal ponto que já nem está em causa a justiça da Lei. O que está em causa é a forma desastrada como o Governo está a tratar o problema. A ministra, para lá da sua tremenda (cósmica?)falta de capacidade de liderança, não soube, ou não quis, fazer passar a sua mensagem. Preferiu a subjugação à motivação.
Poderá mesmo impor a sua Lei. Mas não nos iludamos: os professores não a vão cumprir. Fingirão que o fazem, criarão mecanismos subtis para tornear as questões, colocarão nos impressos dados politicamente correctos, enfim, mentirão com todos os dentes que têm na boca. Porque nada poderá correr bem se os executantes não aderirem ao projecto.

Em caso de vitória, a ministra salvará a face, mas não a qualidade do ensino.

O direito a que se refere é o direito à resistência
O direito à resistência não se aplica aos casos em que o cidadão considera a lei injusta, ilegítima ou atentatória da sua consciência, como afirma.
Se assim fosse um traficante de drogas, de armas ou de carne branca podia alegar que o seu “negócio” era legítimo para a sua consciência e que a Lei da República Portuguesa é que era ilegal, injusta e atentatória da sua consciência… pelo que resistiria e faria como lhe apetecesse.

O direito à resistência está previsto na Constituição Portuguesa nos seguintes termos:

Artigo 21.º
(Direito de resistência)

Todos têm o direito de resistir a qualquer ordem que ofenda os seus direitos, liberdades e garantias e de repelir pela força qualquer agressão, quando não seja possível recorrer à autoridade pública.

Ora no caso em apreço não estamos no âmbito do direito à resistência porque não está em causa nenhum direito, liberdade ou garantia!

Não existe um direito a “não ser avaliado” no desempenho profissional. Também não existe um direito a progredir “automaticamente” na carreira independentemente do desempenho.
Ninguem impede os professores de se manifestarem, como se vê pelas multidões na Avenida da Liberdade.
Não está a ser coartado a qualquer professor a garantia de defesa em qualquer eventual processo por incumprimento. E muito menos a possibilidade de recorrerem aos tribunais para fazer valer os seus pontos de vista.

As leis em causa foram legalmente aprovadas pelos órgãos competentes e com a legitimidade política para o poderem fazer.

Mas se então, como diz, o problema já nem é da lei mas sim de estratégia/actuação política então fale, escreva no seu blog, manifeste-se, conte a quem conheçe e no próximo ano vote!
É isso mesmo a democracia!

Mas a lei é para cumprir… DURA LEX SED LEX

Os professores e os sindicatos arrastam os pés para tentar boicotar o processo… mas há um detalhe que parece que todos se esquecem. É que se o governo pretendesse arrastar os pés e recomeçar a definir um novo modelo de avaliação os professores não pregrediriam na carreira nos próximos dois anos…

30 Nov 2008 O debate é isso mesmo! – André Escórcio
 |  Category: Sem categoria  | Comments off

Caro André Escórcio,

Não considero que o objectivo das avaliações seja penalizar, no caso em apreço, os professores.
Também não tenho o pressuposto que os professores são maus. Existem os professores excelentes, os muito bons, os maus, os muito maus e a maioria estará entre o bom e o razoável, como acontece na generalidade das distribuições estatísticas normais.

Pelo contrário, penso que a ausência de avaliação só prejudica os professores com mais capacidades e com maior empenho diário.

As avaliações que existiam até agora não tinham impacto real na carreira. Eram pouco mais do que um pró-forma.

O problema que permanece com a proposta de suspender este modelo de avaliação é que não existe nenhuma outra avaliação que os professores aceitem fazê-lo e que de facto seja diferenciadora dos desempenhos individuais.
A proposta de sistema de avaliação proposta pelo sindicato mais visível é apenas a mera auto-avaliação.

Após o ministério ter reduzido os elementos burocráticos do sistema de avaliação, os argumentos sindicais passaram a ser o mau ambiente nas escolas e voltar a trás para voltar a discutir o Estatuto da Carreira Docente… Ora, por este andar nunca se fará avaliação…

Eu acho muito bem que o PS-Madeira tenha posições próprias que podem ser diferentes das opções nacionais do PS sem qualquer problema. Temos autonomia interna e externa e devemos utilizá-la! O que não concordo é que na Madeira abdiquemos de fazer reformas para, em termos de Estatuto da Carreira Docente e avaliação de professores, continuar basicamente tudo como era dantes ou fazer como o PSD que faz de conta que faz uma reforma diferente e faz praticamente o mesmo que é feito a nível nacional.

Mas caro André Escórcio, ao defender que os passos que se seguem são:
“1º Mudança imediata da equipa ministerial;
2º Cancelamento de todo o processo de avaliação;
3º Revisão imediata do Estatuto da Carreira Docente e respectivas Portarias que dele derivam, com todos sentados à mesa das negociações.”

Esta é exactamente a posição dos sindicatos… Não estou a ver nestes passos nenhuma solução que resulte numa avaliação dos professores. É apenas mais uma opção de arrastar os pés, que é o que a maioria dos professores tem feito no que respeita à questão de avaliação nos últimos 6 meses. Atrasar, atrasar, atrasar até que não se faça… mais uma vez este ano.

29 Nov 2008 Avaliação para Todos
 |  Category: Política Madeira, Política Portugal  | Comments off

O professor Miguel Fonseca, meu caro amigo e camarada, respondeu no seu blog Basta Que Simao meu post anterior.

Eu sou favorável a que existam sistemas de avaliação para todas as pessoas em todas as profissões!

Entendo a avaliação como um momento de reflexão sobre o que estamos a fazer bem e o que estamos a fazer mal ou não suficientemente bem, permitindo a correcção e a melhoria contínua.

Na minha empresa fazemos avaliação a cada seis meses num modelo de avaliação 360 graus, ou seja, todos avaliam todos com base em vinte e tal critérios. Quando digo todos são mesmo todos! Os sócios gerentes da empresa também são avaliados pelos funcionários, com o mesmo formulário e ao mesmo tempo.

Na última avaliação (em Junho) tive 14,6 valores em 20 e fui “apenas” a quarta melhor nota na empresa… A melhor nota foi um 16,2. Como podes ver Miguel Fonseca, a defesa que faço dos sistemas de avaliação não é retórica mas uma prática.

Concordo contigo que existem outras áreas onde não existe avaliação efectiva e onde ela é particularmente necessária.

Os professores não são a única classe social com regimes de previlégio. O caso dos médicos é bem mais gritante do que o dos professores e espero que um futuro governo tome medidas para resolver essas injustiças. Por exemplo, como se justifica que o Governo Regional convencione um pagamento por parte do estado por consulta no privado num valor superior ao que paga por hora aos médicos no sistema público? Ainda por cima quando são os mesmos médicos que desempenham funções no público e no privado?
Ou seja, os médicos aproveitam o seu papel de funcionário público para ter formação, contactos, etc. E utilizam os seus consultórios para receber extras pagos maioritariamente pelo estado…

Mas existem outros previlegiados… Existe um grupo de estivadores na Madeira, ao contrário do que se poderia pensar, que são escandalosamente previlegiados.

Os destacados (maioritariamente professores de educação física) também são uns previlegiados.

A falta de avaliação dos políticos é escandalosa! Presume-se que os políticos são julgados pelo povo em eleições, mas a verdade é que no nosso sistema político vota-se em partidos, quando muito em líderes, e não em políticos individualmente.
Se os políticos fizessem uma avaliação periódica inter-pares com base em critérios objectivos e quantitativos, estou certo que a qualidade da actuação melhoraria a olhos vistos!
Mas os políticos, como os professores, têm receio de ser avaliados individualmente porque sempre viveram numa cultura de baixa exigência individual e de empurrar para o lado as responsabilidades que são de todos.

Mas não são só os professores que têm de avaliar a Ministra da Educação, mas todos os Portugueses!

Pelo que percebi, o critério dos resultados dos alunos é apenas retirado neste ano uma vez que existiam dificuldades operacionais em obter essa informação de forma fácil e rápida…

Eu não tenho dúvidas que existe pluraridade dentro do PS, mas a posição pública veiculada pelo PS é apenas uma e é a essa que me refiro.

Com a delicadeza de uma foice, o meu camarada Miguel Fonseca introduz uma referência a uma fuga de informação muito grave detectada no tempo em que fui vice-presidente. De facto, o Miguel Fonseca não foi o responsável por essa fuga de informação, a responsabilidade foi do staff do Secretário Geral (nacional) do Partido de então. Apesar dessas conversas terem sido apenas internas, o Miguel Fonseca volta a trazê-las a público, sinal que o meu pedido de desculpas de então não foi suficiente, pelo que reitero-o neste momento.

29 Nov 2008 Sistema de Avaliação dos Professores – PS-Madeira
 |  Category: Sem categoria  | Comments off

Gostava de dizer de forma simples, mas clara, que discordo da linha estratégica que o PS-Madeira tem vindo a defender em relação ao sistema de avaliação dos professores. As criticas ao sistema de avaliação que está a ser implementado no país não vão no sentido que considero correcto.

Surge este comentário em consequência deste.

Os professores têm de ter avaliação que de facto diferencie os melhores e os piores dos outros!
Este sistema pode não ser perfeito para avaliar, mas é o melhor que tivemos até agora! É como o sistema democrático… tem defeitos mas é o melhor que se inventou até agora.
Os professores não podem deixar de cumprir a lei (que os obriga a ter avaliações) porque lhes apetece!
Os professores não podem chegar todos ao topo da carreira porque essa é uma benece que mais ninguém tem! Justiça também é retirar o que uns poucos beneficiados (200 000) têm ilegitimamente a mais em relação à generalidade dos funcionários públicos e trabalhadores em geral.

Preocupa-me que o facto da Direcção do PS-Madeira ser constituída em cerca de 50% por pessoas ligadas ao ensino e de isso parecer estar a provocar uma entorse na posição política do PS-Madeira em relação ao consideraria normal e justo.

Defender a mudança da equipa ministerial, suspensão da avaliação e revisão do Estatuto da Carreira Docentes, como fez André Escórcio no seu blog é inacreditável! Essa é a posição dos sindicatos pura e simples…

O PSD-Madeira manda parar tudo, dá BOM a todos e espera pelo resultado eleitoral do próximo ano para ver o que acontece… Que autonomistas!

27 Nov 2008 Rita Matilde em Novembro
 |  Category: Família, Prazer  | Comments off










27 Nov 2008 Imagens da Rita Matilde de Outubro
 |  Category: Família, Prazer  | Comments off

















27 Nov 2008 Reduzido o leque de possiveis culpados
 |  Category: Notícias Madeira  | Comments off

Na sessão plenária de 25 de Novembro, Jaime Ramos brindou o deputado Leonel Nunes do PCP com os epítetos de “fascista” e “chulo da sociedade”.

Ora mais uma vez se vê quem é que faz cenas na Assembleia Legislativa da Madeira… e desta vez, como o PS, BE e PND não estavam na sala devido a protesto, fica reduzido o leque de possíveis culpados ao PSD, CDS-PP e PT… Isto para quem ainda tem dúvidas de que a culpa é do PSD…

Ora quando até os comunistas são chamados de fascistas, o que é que não se poderá chamar ao PSD…

Já há algum tempo (Maio 2007), o mesmo Jaime Ramos tinha dito ao deputado Victor Freitas do PS quando este ia iniciar o seu discurso a seguinte pérola da ofensa gratuíta: “Este senhor que está a falar é filho de um preto que foi enrabado em África”

Por mais voltas que dêem aos factos ninguém consegue fugir da evidência que as piores atuardas que se passam na Assembleia têm sempre um de dois protagonistas: Jaime Ramos ou Coito Pita.
Felizmente, Coito Pita já se demitiu e pelos vistos anda calado e de férias…

27 Nov 2008 Propaganda Política só com autorização
 |  Category: Política Madeira  | Comments off

De acordo com o Diário de Notícias, três Câmaras Municipais da Madeira (Porto Moniz, Ribeira Brava e Câmara de Lobos) têm projectos de regulamentos que obrigam os partidos políticos a pedirem autorização prévia e a colocar a sua propaganda nos espaços definidos pela autarquia correspondente.

Uma coisa é existirem regras sobre que zonas podem ser utilizados para fazer propaganda, protegendo valores mais elevados do que a democracia (e são bem poucos, mas a defesa de património e identidade cultural relevante é um deles). Até este ponto eu estou de acordo.

Outra coisa é limitar quando e como se a pode fazer. Isso é ilegal e inadmissível.

Pior ainda é ter de pedir autorização à Câmara para o pode fazer! Jamais! Quando muito notificar a Câmara de que o fez à posteriori.

A Câmara não decide qual é a boa e a má propaganda. Não pode criar “engulhos administrativos” aos partidos na transmissão das suas mensagens políticas. Não pode condicionar formas, formatos, cores, tamanhos ou meios.

27 Nov 2008 Santana – Carlos Pereira incomodado por Adelino Silva
 |  Category: Política Madeira  | Comments off

Diário de Notícias

“O prazo médio de pagamento aos credores da Câmara Municipal de Santana está acima dos 90 dias, mas a autarquia tem facturas de fornecedores para pagar desde o ano de 2006. Foi Carlos Pereira, presidente da autarquia, quem revelou os dados quando questionado por Adelino Silva, vereador eleito pelo Partido Socialista, anteontem, na última reunião ordinária. O autarca não disfarçou o incómodo da pergunta e respondeu que o tempo de espera deve-se ao constrangimento da política que o Governo da República tem vindo a exercer junto das autarquias locais. Ainda assim, Carlos Pereira adiantou mais pormenores que levam ao atraso e à dificuldade de tesouraria que a Câmara Municipal atravessa e qual a estratégia que irá adoptar.”

“A lista de credores da Câmara Municipal de Santana é tão extensa, que o próprio autarca, quando questionado a divulgar o número, ficou-se por um vago “são bastantes”. Neste rol encontram-se empreiteiros de obras públicas, fornecedores de bens e serviços, empresários locais e outros.”

A Câmara de Santana não recebe menos verbas do que em anos anteriores! Logo a culpa não é do Governo da República mas sim do “governo” de Santana.

27 Nov 2008 Ingratidão e insensibilidade

“Ingratidão e insensibilidade” é como o Presidente da Câmara de Câmara de Lobos classifica hoje no Diário de Notícias os bombeiros, juntas, fornecedores e clubes que desde Setembro deixaram de receber qualquer tostão da Câmara Municipal…

“senão – ameaça – terá a Câmara de repensar os apoios que dá e como os dá”

E se calhar os eleitores também podem ameaçar repensar em quem votam para gerir devidamente os seus recursos financeiros… Arlindo Gomes fala como se o dinheiro fosse seu e não o produto dos impostos pagos.

Mas os beneficiarios também têm alguma culpa… É que não têm coragem para mover uma acção judicial para que a Câmara Municipal cumpra com o que se comprometeu por escrito em contratos programa.
Se calhar, um dia que a Câmara mude de cor política passarão a ter essa coragem…

27 Nov 2008 PCP com voto secreto
 |  Category: Notícias Portugal, Política Portugal  | Comments off

O PCP vai eleger o comité central por voto secreto pela segunda vez, por imposição da Lei dos Partidos Políticos.

O PCP considera esta disposição da lei “anti-democrática”…

Para avaliar a democraticidade desta norma legal gostava de conheçer qual foi o resultado das votações secretas e qual era o resultado habitual das votações por braço no ar…

Seguramente dará resultados significativamente diferentes.

27 Nov 2008 Professores em auto-avaliação

A Plataforma Sindical dos professores propõe hoje como solução de avaliação dos professores a auto-avaliação, a ser preenchido pelos docentes num único formulário. Mas exigem que o actual modelo de avaliação seja suspenso…

Ora, a auto-avaliação pode ser um bom início de solução!

Proponho a seguinte solução:

Os professores fazem a auto-avaliação e o conselho pedagógico acompanha esse exercício.
Se o conselho pedagógico considerar que a nota é desajustada por ser acima ou abaixo do que o professor merece inicia-se o processo tal como definido até agora.
Se o conselho pedagógico considerar eventualmente adequada, mas for uma nota muito bom ou excelente, ou se existir excesso de candidatos para as quotas a preencher então inicia-se o processo para esses professores de acordo com o que está estabelecido.

Esta solução dá ao conselho pedagógico a possibilidade de exigir a avaliação a eventuais professores crónicos.
Esta solução reduz o esforço necessário para este ano porque presumo que muitos professores se contentem com bom… Pelo menos na Madeira contentam-se…

Com esta solução reduzimos o esforço necessário para este ano, mas numa solução futura todos os professores têm de ser avaliados individualmente…

27 Nov 2008 Normalidade Democrática?
 |  Category: Política Madeira  | One Comment

Vale a pena no “Com Que Então” ler as regras regimentais para o debate do Orçamento da Região 2009 que o PSD-Madeira impôs.

Estamos de volta à “normalidade democrática” da Assembleia Legislativa da Madeira…

Só falta acrescentar que mesmo com estes tempo e condições inacreditáveis para o debate político, este é um dos momentos raros (1 ou 2 vezes por ano) em que Alberto João Jardim se apresenta na Assembleia Legislativa.

Que democracia!?! Que anormalidade!!

26 Nov 2008 Apólices de Seguro sem Letras Pequenas
 |  Category: Sem categoria  | Comments off

Segundo o Portal do Cidadão, a partir de 1 de Janeiro de 2009, as cláusulas das apólices de seguros que digam respeito às coberturas, às condições e aos deveres inerentes às companhias e aos segurados devem ser redigidas em caracteres destacados e de maior dimensão que os restantes, em resultado da aplicação do Decreto-Lei n.º 72/2008, de 16 de Abril.

Este decreto pretende proceder “a uma consolidação do direito do contrato de seguro vigente, tornando mais acessível o conhecimento do respectivo regime jurídico, esclarecendo várias dúvidas existentes, regulando alguns casos omissos na actual legislação e, obviamente, introduzindo diversas soluções normativas inovadoras”.

É, sem dúvida, uma boa medida. Resta saber se mesmo em letras grandes, se o texto das referidas coberturas e condições for suficientemente longo e escrito de forma muito “jurídica”, se as pessoas não vão continuar a assinar de cruz, mesmo estando tudo em letras grandes…

26 Nov 2008 Sócrates, Platão e as TIC
 |  Category: Política Portugal  | Comments off

No debate de anteontem na RTP – Prós e Contras sobre o sistema de avaliação dos professores que ouvi com muito interesse ouve uma intervenção de um professor que me merece destaque pela negativa.

O professor de Filosofia, directo executivo da primeira escola do país a suspender o processo de avaliação, queixava-se do modelo de forma energética. Quando questionado porquê deu os seguintes exemplos ridículos e risíveis:
Dizia o professor que nos sub-critérios de avaliação estava a pergunta: “Utiliza nas aulas as TIC (Tecnologias da Informação e Comunicação)?” e noutra “Utiliza métodos pedagógicos variados?”

De acordo com este professor de Filosofia ele usa é o velhinho método interrogativo de Sócrates que funcionava há 2500 anos e continua a funcionar hoje. E se a filosofia sempre foi assim porque é que ele há de usar outros métodos ou as TIC se Sócrates não as usava?

Ora que ridículo… Sócrates, o filósofo, era um tipo esquisito, que nunca escreveu nada do que ensinou, que se recusava a ter alunos (discípulos) e que não queria receber nada pelo acto de ensinar.
Se não fosse Platão que utilizou as técnicas da altura para passar ao papel os seus ensinamento, Sócrates não tinha existido para a história da humanidade…

O ensino da Filosofia não se pode limitar ao método interrogativo! É necessário fazer sínteses e enquadramentos pelo método expositivo. É possível fazer dramatizações/debates pondo metade da sala a defender um ponto de vista e outra metade a defender outro. E muito mais… Se for mais variado é mais interessante para os alunos, logo aumenta a atenção, logo aumenta a apreensão.

É possível utilizar as TIC, nomeadamente o projector, para ajudar nos enquadramentos e sínteses. Mostrar imagens, apresentar conceitos, mostrar definições.
Existem alunos visuais e cinestésicos para além dos auditivos. Ter aulas apenas com o método interrogativo é uma desgraça para a maioria dos alunos. Não estruturar as conclusões é dramático para a compreensão e memorização da matéria.

Curiosamente, Platão não tinha video-projector, mas o famoso “mito da caverna” tem por base a projecção de sombras nas paredes da caverna com base na luz que chega pela porta… Tendo em conta que Platão viveu Antes de Cristo, parece-me que fez uma excelente alegoria e um bom uso das tecnologias de informação e comunicação que estavam disponíveis além de demonstrar que utilizou diferentes técnicas para transmitir a sua mensagem.

Se são estes os melhores argumentos dos professores para contrariar a avaliação estamos conversados…

24 Nov 2008 Alberto no Congresso da JSD-Madeira

Realizou-se este fim de semana o congresso da JSD-Madeira que elegeu Vania Jesus para líder da organização.

A encerrar o congresso esteve o presidente do PSD-Madeira. Relembrando o discurso do último Congresso da JSD em que o Alberto João Jardim disse que “Temos de nos comportar como uma máfia no bom sentido“, o Alberto quis virar o bico ao prego acusando o PS de parecer uma máfia siciliana.

Ora cá está o Alberto a se inspirar no que vê no espelho…

Mas os argumentos para justificar esse epíteto é que são de morrer a rir. Segundo o decrépito líder regional do PSD, o PS parece-se com a máfia siciliana porque:
a) Não tem valores
b) Promete e não cumpre

Ora, tanto quanto sei a máfia promete e cumpre! É exactamente por cumprir o que promete que são perigosos e criminosos violentos contra aqueles que se lhes opõem. Cumprem o que prometem mesmo que isso implique destruir tudo pelo caminho.

Pelo que me dizem os livros e os filmes a máfia tem valores! Podem não ser os valores mais correctos no ponto de vista da esmagadora maioria da sociedade, mas lá que têm valores têm!
Os valores da máfia são defender a família, defender os seus, a honra, a força, respeito inquestionável pelos superiores, considerarem-se superiores, obediência total, secretismo em relação aos assuntos da “família” e o recurso à violência para fazer valer os seus pontos de vista…

O resto das conclusões ficam por sua conta…

20 Nov 2008 Desafio Matemático (2)
 |  Category: Sem categoria  | 2 Comments

Um homem tinha uma senha secreta do seu cofre onde se encontrava uma enorme fortuna.
Infelizmente, morreu inesperadamente sem que ninguém soubesse a senha do cofre, mas tinha uma nota na sua agenda que dizia:

A senha do cofre tem 5 algarismos. Caso não te lembres da senha aqui vão as seguintes pistas:
a. O quinto número mais o terceiro equivalem a 14.
b. O quarto número é um a mais que o segundo número.
c. O primeiro número é um a menos que duas vezes o segundo número.
d. O segundo número mais o terceiro número equivalem a 10.
e. A soma de todos os números é 30.

Consegues descobrir a senha? A solução está nos comentários, mas tenta resolver usando a tua cabeça!

20 Nov 2008 As melhores frases dos piores alunos
 |  Category: Humor  | Comments off

‘ O metro é a décima milionésima parte de um quarto do meridiano terrestre e para o cálculo dar certo arredondaram a Terra! ‘

‘ O cérebro humano tem dois lados, um para vigiar o outro.’

‘ O cérebro tem uma capacidade tão grande que hoje em dia, praticamente, toda a gente tem um.’

‘ Quando o olho vê, não sabe o que está a ver, então ele Amanda uma foto eléctrica para o cérebro que lhe explica o que está a ver. ‘

‘ O nosso sangue divide-se em glóbulos brancos, glóbulos vermelhos e até verdes! ‘

‘ Nas olimpí­adas a competição é tanta que só cinco atletas chegam entre os dez primeiros.’

‘ O piloto que atravessa a barreira do som nem percebe, porque não ouve mais nada. ‘

‘ O teste do carbono 14 permite-nos saber se antigamente alguém morreu. ‘

‘ Antes mesmo da guerra a mercedes já fabricava volkswagen.’

‘ Pedofilia é o nome que se dá ao estudo dos pêlos.’

‘O pai de D. Pedro II era D. Pedro I, e de D. Pedro I era D. Pedro 0′

‘ Nos aviões, os passageiros da primeira classe sofrem menos acidentes que os da classe económica.’

‘ O Í­ndice de fecundidade deve ser igual a 2 para garantir a reprodução das espécies, pois precisa-se de um macho e uma fêmea para fazer o bebé. Podem até ser 3 ou 4, mas chegam 2.’

‘O homossexualismo, ao contrário do que todos imaginam, não é uma doença, mas ninguém quer tê-la. ‘

‘ Em 2020 a caixa de previdência já não tem dinheiro para pagar aos reformados, graças à quantidade de velhos que não querem morrer. ‘

‘ O verme conhecido como solitária é um molusco que mora no interior, mas que está muito sozinho.’

‘ Na segunda guerra mundial toda a Europa foi ví­tima da barbie nasista. ‘

‘ Cada vez mais as pessoas querem conhecer a sua família através da árvore ginecológica.

‘O hipopótamo comanda o sistema digestivo e o hipotálamo é um bicho muito perigoso. ‘

‘A Terra vira-se nela mesma, e esse difícil movimento chama-se arrotação. ‘

‘ Lenini e Stalone eram grandes figuras do comunismo na Rússia.’

‘ Uma tonelada pesa pelo menos 100Kg de chumbo.’

‘ Quando os egípcios viam a morte a chegar, disfarçavam-se de múmia. ‘

‘ Uma linha recta deixa de ser recta quando encontra uma curva.’

‘ O aço é um metal muito mais resistente do que a madeira.’

‘ O porco é assim chamado porque é nojento.’

‘ A fundação do Titanic serve para mostrar a agressividade dos icebergs. ‘

‘ Para fazer uma divisão basta multiplicar subtraindo.’

‘ A água tem uma cor inodora.’

‘ O telescópio é um tubo que nos permite ver televisão de muito longe. ‘

‘ O Marechal António Spínola é conhecido principalmente por estar no dicionário. ‘

‘ A idade da pedra começa com a invenção do Bronze.’

‘ O sul foi posto debaixo do norte por ser mais cómodo.’

‘ Os rios podem escolher desembocar no mar ou na montanha.’

‘ A luta greco-romana causou a guerra entre esses dois paí­ses. ‘

‘ Os escravos dos romanos eram fabricados em África, mas não eram de boa qualidade. ‘

‘ O tabaco é uma planta carní­vora que se alimenta de pulmões.’

‘ Na Idade Média os tractores eram puxados por bois, pois não tinham gasolina. ‘

‘ A baleia é um peixe mamí­fero encontrado em abundância nos nossos rios. ‘

‘ Quando dois átomos se encontram, vai dar uma grande merda.’

‘ Princípio de Arquimedes: qualquer corpo mergulhado na água, sai completamente molhado. ‘

‘ Newton foi um grande ginecologista e obstetra europeu que regulamentou a lei da gravidez e estudou os ciclos de Ogino-Knaus.’

‘ A trompa de Eustáquio é um instrumento musical de sopro, inventado pelo grande músico belga Eustáquio, de Bruxelas.’

‘ Parasitismo é o facto de um gajo não trabalhar e viver à «pala» dos outros, de dinheiro, cigarros e outros bens materiais.’

‘ Ecologia é o estudo dos ecos, isto é, da ida e vinda dos sons.’

‘ A Biologia é o estudo da saúde. E para beneficiar a saúde é que foi inventado o biotónico.’

‘ As constelações servem para clareficar a noite.’

‘ Ao princípio os Í­ndios eram muito atrasados mas com o tempo foramse sifilizando. ‘

‘ O Convento dos Capuchos foi construído no céculo 16 mas só no céculo 17 foi levado definitivamente para o alto do monte.’

‘ A História divide-se em 4: Antiga, Média, Momentânea e Futura, a mais estudada hoje ‘

‘ A Bigamia era uma espécie de carroça dos gladiadores, puchada por dois cavalos. ‘

‘ As aves teem na boca um dente chamado bico.’

‘ A Terra é um dos planetas mais conhecidos e habitados do mundo.’

20 Nov 2008 Inauguração do orgão na Igreja do Colégio
 |  Category: Notícias Madeira, Prazer  | Comments off

No próximo Domingo, dia 23 de Novembro, às 21 horas, será inaugurado o orgão da Igreja do Colégio, Funchal, com uma actuação de Ton Koopman.

Orgão da Igreja do Colégio

Segundo o director da DRAC afirmou ao Jornal da Madeira, o órgão de tubos da Igreja do Colégio pesa cerca de seis toneladas, foi construído de raiz para as características acústicas do templo e será colocado no coro alto.